13 de abr de 2013

SÁBADO EM OUTRA LÍNGUA: Nineteen Minutes – Jodi Picoult



Sinopse: Sterling é uma cidade comum de New Hampshire onde nada nunca acontece – até o dia que a sua tranqüilidade é abalada por um ato de violência, um tiroteio na escola local. Josie Cormier, a filha da juíza que irá julgar o caso, deveria ser a melhor testemunha do estado, mas ela não consegue se lembrar do que aconteceu bem em frente aos seus olhos... ou será que consegue? Com o progresso do julgamento, começam a aparecer rachaduras entre a escola e os adultos – destruindo famílias e as amizades mais próximas. Nineteen Minutes nos pergunta o que significa ser diferente na nossa sociedade, quem tem o direito de julgar alguém, e se alguém é realmente o que parecem ser.

Em 19 minutos, você pode cortar a grama do quintal da frente, pintar seu cabelo, assistir a um terço de um jogo de hóquei. Em 19 minutos você pode assar um cupcake, pode ter um dente extraído por um dentista, você pode lavar roupa para uma família de cinco pessoas. Dezenove minutos foi o tempo que levou para o Tennessee Titans vender os bilhetes para os playoffs.

É a quantidade de tempo que leva para ouvir a música Yes Close to the Edge. É o comprimento de uma sitcom, menos os comerciais. É o raio de distância da fronteira com Vermont para a cidade de Sterling, New Hampshire.

Em 19 minutos, você pode pedir uma pizza e obtê-la entregue. Você pode ler uma história a uma criança ou ter seu óleo mudado. Você pode andar dois quilômetros. Você pode costurar uma bainha. Em 19 minutos, você pode parar o mundo, ou você pode simplesmente pular fora dele. Em 19 minutos, você pode se vingar.

E foi isso que Peter Houghton resolveu fazer. Aos 17 anos ele não agüentava mais, e em uma manhã como outra qualquer, entrou na sua escola armado e se vingou. Era naquela escola que ele agüentava, desde os 5 anos, todo tipo de humilhação, perseguição, agressão e ameaça. Naquela escola ele era mais uma vítima de Bullying.

Em seu primeiro dia de aulas no jardim de infância, Peeta não poderia estar mais animado e feliz, finalmente ia conhecer o lugar para o qual seu irmão mais velho ia todos os dias, iria fazer amigos e aprender coisas novas. Mas não foi isso que aconteceu, ainda no ônibus escolar ele teve sua lancheira arrancada de suas mãos e destruída, sua lancheira do Batman que ele tinha ido comprar tão feliz com a sua mãe. Na escola Peeta não fez amigos, com certeza aprendeu muitas coisas novas – mas não foi nos livros didáticos. E pouco a pouco, ele viu aquele lugar se transformar em seu pior pesadelo.

Acontecimentos como esse continuaram a acontecer todos os dias de sua vida. Durante a infância, Peeta ainda pode contar com a amizade de Josie, a única pessoa que parecia não se importar que ele fosse diferente, que o defendia. Até que Josie descobriu outro mundo, o mundo dos populares, e entre suas novas amigas e seu novo namorado, não há mais espaço para Peeta... 

Quando ele chega à adolescência, as coisas já chegaram a um nível alto demais, e uma série de acontecimentos começa a desencadear um desfecho trágico, que ninguém podia prever e irá abalar pra sempre a vida daquela cidade. 

Os livros da Jodi seguem uma narrativa que mixa o passado e o presente e cada capítulo é narrado por um personagem. Assim, podemos conhecer toda a vida de Peeta, de Josie, de suas famílias e de toda a escola e podemos ter o ponto de vista de todos para que formemos nossa própria opinião sobre o que aconteceu. 

Segundo a autora, esse livro é para todas as crianças mundo a fora que se sentem um pouquinho diferente, um pouquinho assustadas, um pouquinho excluídas. Ele é sobre Bullying, sobre vingança, sobre aprender a ver as coisas por outras perspectivas, é para nos lembrar que alguém também ama o assassino.

Esse tipo de acontecimento já virou notícia comum nos Estados Unidos e já tivemos o nosso próprio caso aqui no Brasil, é um tema muito sério e muito pesado e que deve ser cada vez mais discutido. 

Quando uma notícia dessas aparece nos jornais, nos perguntamos como alguém pode ser capaz de tirar vidas inocentes, como um adolescente pode ser tão cruel... Peeta tem a resposta, “Eles começaram”.

Confirma o Book Trailer:


Curiosidades:

1) O livro será lançado no Brasil pela editora Verus ainda esse mês.


*"Em Outra Língua" é um meme criado pelo blog "Amount of Words" para fazer resenhas ou comentar sobre lançamentos de livros estrangeiros a princípio apenas às quintas-feiras, mas atualmente em qualquer dia da semana.

Um comentário:

  1. Impossível não lembrar da trágica história que aconteceu aqui no Rio, não é? Esse é um tema bem pesado e deve ser muito difícil de se abordar em um livro. Confesso que fiquei curiosa, mas ao mesmo tempo com um certo medo de ler o livro porque parece ser bem angustiante o sofrimento de todas as partes envolvidas..

    Adorei a resenha, você é ótima!
    Beijos

    ResponderExcluir